Assumindo o controle

Diabetes tipo 1 > Gerenciando o diabetes

Ajustes de terapia para situações especiais

Logotipo Roche Equipe Roche
Ícone de calendario
Capa Ajustes de terapia para situações especiais

Dias de doença

Todos nós temos dias em que ficamos doentes. Nestes momentos, alguns ajustes precisam ser feitos na sua terapia. Veja abaixo algumas dicas importantes.

  • Alimentação: uma alimentação saudável é essencial para o bom funcionamento do organismo, para a promoção da saúde, melhora do controle glicêmico, fortalecimento do sistema imunológico e bem – estar
  • Atividade física: Manter a rotina de exercícios físicos é importante para controle metabólico do diabetes (na qual aumenta o consumo de glicose e reduz a resistência à insulina), controle de peso e proteção do coração, fortalecimento do sistema imunológico e benefícios psicológicos.
  • Controle: a monitoração da glicemia através das tiras reagentes e glicosímetros são essenciais para o bom gerenciamento do tratamento e essa prática deve ser mais presente no período de doença, uma vez que o diabetes mal controlado pode o deixar mais vulnerável a qualquer infecção.
  • Lembrando que o álcool em gel não pode ser usado para higienização prévia dos dedos antes da punção capilar pois forma uma película interferindo no resultado. Portanto lave as mãos com água e sabão ou use álcool 70% no local antes da punção.
  • Medicação: Continue tomando suas medicações para o diabetes e para todas as doenças e condições de saúde que você já tenha. Nessas situações, talvez a sua necessidade de insulina aumente ou diminua devido à resistência do seu organismo ao hormônio, por isso, sempre faça o ajuste da dose com seu médico. Se você notar algum mal-estar com algum medicamento, comunique a equipe de saúde que o atende  – além disso, se você utiliza a bomba de insulina, as funções e recursos do dispositivo podem ajudá-lo, pois a bomba possui ajustes de terapia para esses momentos. 
  • Adapte-se: Temos dificuldades em aceitar alguns eventos que não queríamos e o diabetes sofre influência de fatores psicológicos, portanto, mantenha a calma e tenha interações sociais mesmo que mantidas por telefone ou plataformas da internet.
  • Hiperglicemia e hipoglicemia: Intensifique a monitorização da glicemia, avalie com mais frequência seus valores com a equipe de saúde (a fim de ajustar a terapia se necessário) e o mais importante, procure entender o que motivou a hiperglicemia ou hipoglicemia [1]

[1] SOCIEDADE BRASILEIRA DE DIABETES. Diretrizes Sociedade Brasileira de Diabetes 2019-2020. Disponível em: http://www.saude.ba.gov.br/wp-content/uploads/2020/02/Diretrizes-Sociedade-Brasileira-de-Diabetes-2019-2020.pdf. Acesso em: 22 jan. 2022.

Viagem

Outro ponto importante são as viagens, é sempre muito bom. Mesmo em uma viagem de negócios, é possível aproveitar. De férias, então, todo mundo gosta. Mas, para garantir a tranquilidade do passeio, é preciso planejar, imaginar o que será necessário, o que deve estar na mala. No caso das pessoas que têm diabetes, o planejamento deve ser ainda mais detalhado considerando os cuidados diários com o controle da glicemia e possíveis imprevistos.

O que levar para a viagem

Importante lembrar o que você deverá levar quando estiver viajando:

  • laudo médico, e se necessário em inglês, com informações de que você tem Diabetes e sobre a terapia que utiliza.
  • Kit de insumos para terapia com múltiplas doses de insulina (MDI) considerando tempo total de viagem.
  • Kit de emergência para hipoglicemia (gel de glicose, mel ou açúcar).
  • Leve com você um cartão de identificação dizendo: Tenho diabetes.
  • Mantenha o cartão de identificação atualizado com seus dados pessoais e informações sobre seu médico.
  • Se você for viajar para outro país, pergunte a seu médico como a insulina que você usa é chamada por lá. Portanto, anote os outros nomes da insulina para garantir que comprará o produto certo se precisar.
  • O transporte correto da insulina também é importante, porque o produto pode ser alterado se não estiver adequadamente armazenado. Por isso, nunca a exponha à luz do sol, à temperatura maior que 37oC ou ao frio
  • excessivo (menos que 8oC).
  • Se for viajar de carro: Vale lembrar que, ao dirigir, você deve evitar a hipoglicemia para não perder a concentração no volante. O ideal é ter sempre gel de glicose, mel ou açúcar, durante todo o percurso da viagem.
  • Por segurança, verifique a glicemia antes de sair de casa e durante os períodos de intervalo. Se sentir algum sintoma de hipoglicemia, pare o carro.
  • Em uma viagem de avião, manter seu kit de emergência na bagagem de mão é fundamental. Além de priorizar o acesso rápido aos medicamentos, você evita que a insulina acabe estragando, já que a temperatura do bagageiro do avião é baixa demais para a armazenagem do produto.
  • Infelizmente, atrasos de voos, escalas ou cancelamentos são ocorrências bastante comuns em aeroportos. Portanto, previna-se: garanta que qualquer coisa que você possa precisar esteja sempre à mão.
  • Além disso, você deve saber que o fuso horário interfere nos valores da glicemia. Ao fazer voos de longa distância, você precisará ajustar a administração de insulina.
  • Consulte seu médico antes de viagens longas para ele ajustar as doses de insulina durante os fusos horários. [1]

[1] SOCIEDADE BRASILEIRA DE DIABETES. Diretrizes Sociedade Brasileira de Diabetes 2019-2020. Disponível em: http://www.saude.ba.gov.br/wp-content/uploads/2020/02/Diretrizes-Sociedade-Brasileira-de-Diabetes-2019-2020.pdf. Acesso em: 22 jan. 2022.